20 de novembro de 2011

what happens in Vegas

3 de janeiro de 2010.

Nem preciso dizer que ele disse que ia me ligar, me levar pra jantar pra conhecer o papa no dia seguinte e não ligou! Acho que isso já virou um paradigma, sabe? Eles dizem que vão ligar e a gente finge que acredita. Muitas vezes até damos o número errado, só pra achar que eles ligaram numa galáxia imaginária do nosso ego carente. Pois bem, eles não ligam. E a gente normalmente nem liga.

Dizem as mulheres sábias, que os homens não compram as vacas se podem tirar o leite de graça [se é que vocês me entendem]. O que faz perfeito sentido. Não tem porque ligar mesmo, se já bebeu toda a água dessa fonte. Então se a gente dá o leite, eles não ligam. Mas e se a gente não dá e eles também não ligam? Enfim, boa moça mode on.

Ele não ligou. Mas eu fiquei com a pulga atrás da orelha. Se fosse pra não ligar então que deixasse pra fazer isso depois de eu tirar uma casquinha. Afinal a gente tava em Vegas, babe. Mandei uma mensagem despretenciosa, mas que só pelo o fato de ter mandado já dava a entender que eu estava me jogando dos andaimes. 

Diz ele [um tempo depois¹] que não acreditava que eu tinha mandado aquela mensagem. Total quebra de paradigma. Ele respondeu dizendo que ia jantar com os amigos e que depois eles iriam ao Cirque de Soleil, mas que me ligaria quando o espetáculo acabasse. E, pasmem, dessa vez ele ligou.

Eu já tava com o meu pezinho de salto alto dentro do Bellagio, pronta pra passar a nossa última noite (domingo) em Vegas por lá quando ele ligou. Atendi o telefone e ele disse que não poderia ir porque no dia seguinte (segunda) era o primeiro dia de trabalho e que ele não queria estar de ressaca. Fora número 2. Contem comigo. Tudo bem então, até nunca mais, beijo, tchau.

Estamos lá no Bellagio e eu ainda inconformada. Que sem graça! Mandei outra mensagem. Atirem suas pedras, eu não me importo. Mandei mesmo. "E se a gente ficar de boa no cassino? Sem festa, sem bebida, tu vem me buscar?"

Diz ele [um tempo depois²] que não acreditava mesmo que eu tinha mandado aquela mensagem. Quebra de paradigma dois. Então aparece ele na frente do The Bank com um fardinho de budlight embaixo do braço [meu instinto não falha]. Diz ele [um tempo depois³] que caminhou horrores pra encontrar um lugar pra comprar cerveja em fardo, pois ele não queria me encontrar de cara limpa. Eu devo ser muito ruim de encarar mesmo. Romantismos da modernidade.

Fomos pro quarto dele e dos amigos, que eram muito legais. Antes de sair do Bellagio eu tomei uns vários shots! Afinal eu também não queria ser a pessoa mais sóbria do encontro. Turns out, eu era a menos sóbria e só lembro que passei a noite toda falando pelos cotovelos, contando histórias e eles rindo de mim.

Mais tarde, ele me deu uma carona até o meu hotel. E apesar de não ter tirado nenhuma casquinha do mocinho eu tava bem satisfeita de ter passado a minha última noite em Vegas com ele. Fiz as malas e fui embora acreditando naquela história de que o que acontece em Vegas fica em Vegas. Desconfiem.

9 comentários:

  1. Bom demais te ler de volta aqui!!

    Amei essa ideia da blognovela da vida real e fiquei doida pelos próximos capítulos!!!

    Dizer 'saudades' já está redundante! Amo-te

    ResponderExcluir
  2. Ctrl C + Ctrl V no comentário da Léli!

    Só te digo uma coisa: queremos muito cenas do próximo capítulo!

    Pelotinhas te espera com chá, suco, mate ou "chopinho", vem logo!

    Bjss!

    ResponderExcluir
  3. Conhecia um poquinho da história inicial, mas ameiii saber de tudo hehehehe...Parabéns fabih pelo blog, sucesso total tenho crtza! Bjos Dai Fontana

    ResponderExcluir
  4. Agradeçam a mim por incentivá-la a criação deste blog. Também quero créditos! hahaha

    Fabih, tás no caminho certo! Tenho certeza que teu dilema vai bombar na Internet. Fico à disposição para ajudar na panfletagem do teu blog. Se for no Laranjal, melhor! hahaha

    Muito sucesso!
    Beijos com gostinho de saudades.

    ResponderExcluir
  5. SIM muitos créditos pro francisco lima! Sem ele, não tinha blog!!! :) panfletagem no laranjal vai ser o próximo passo hahaha é o que há!

    Muito obrigada meninas!! Vocês moram no meu coração! Saudade de todos!! beijo beijo

    ResponderExcluir
  6. Acho que te incomodar para escrever um blog foi uma das melhores e mais acertadas chatices minha e dos ECOSnianos! :D Se antes eu me deliciava com seu talento para escrever de maneira leve, natural e, normalmente, cômica - hoje também aproveito a leitura viciante para matar um pouquinho da saudade que sinto de ti!

    AMEI ter mais Fabih ao alcance das mãos! E estou me divertindo muitíssimo, mas preciso fazer uma advertência: este blog está me causando efeitos colaterais que podem ser resumidos em consultas constantes e muitas unhas roídas em função da curiosidade de saber o resto da história ... TE AMO DEMAIS E ESTOU TORCENDO POR TI E POR ESTA HISTÓRIA. Beijos da sua sempre fã!

    ResponderExcluir
  7. Já sabia de boa parte dessa história, mas relembrar foi muito divertido!
    Vou continuar acompanhando..
    Sucesso no blog magra!

    beijo, beeeijo.

    ResponderExcluir
  8. Essa Fabih que manda mensagem quando o cara não liga e "se atira dos andaimes" é a Fabih que eu conheço e gosto tanto!
    Só pra não perder a oportunidade: saudades imensas!
    bjs

    ResponderExcluir
  9. "Falando pelos cotovelos" ... com ou sem shots dá no mesmo!!! haiehiuaiehaihe

    Bem massa a história... vou lendo devagarito...

    Bjao!

    ResponderExcluir