30 de março de 2012

aniversário de namoro

17 de setembro de 2011.

Como vocês sabem, a gente vive mais separado do que junto. Então nunca comemoramos um aniversário de namoro. O dia 17 de setembro de 2011 caiu num sábado e o Jared resolveu fazer algo especial. O nosso aniversário mesmo é 17 de abril, mas por que não comemorar mês a mês? Faz de conta que a gente ainda está em High School.

Ele reservou uma mesa num restaurante chiquérrimo em Las Vegas, o Top of the World. O lugar fica num dos últimos andares de um prédio, com paredes de vidro e gira. Sim, o restaurante faz uma volta completa a cada 80 minutos, assim os clientes têm uma vista da cidade do pecado por todos os lados. E não ficam tontos, eu juro.

Skydivers, pessoas que pulam de prédios e que não são suicídas, despencam através do vidro, enquando você aprecia o seu prato principal. Um luxo.

Chegamos na recepção e a moça perguntou se era uma ocasião especial. O Jared disse que era nosso anniversary. O casal atrás de nós na fila disse: - o nosso também. Respondemos, simpáticos, "ai que legal, blábláblá". Aí eles perguntaram: quantos anos de casados? A gente se olhou e disse: não, não, um ano de namoro (pegava mal dizer um ano e cinco meses, né?). Eles murcharam, acho que já estavam casados há 12 anos. E eu pensei com meus botões por que será que o tema casamento parece estar sempre no menu do dia.

Depois da janta ótima e alguns "bons drink",  fomos assistir ao espetáculo Love do Cirque du Soleil, que faz uma releitura da trajetória dos Beatles. Lindo, daquelas coisas lindas que enchem a alma da gente. Uma noite completa, sem espaço para o futuro. Uma noite feita do agora.

No domingo, acordamos cedo e fomos finalmente fazer uma trilha no Red Rock Canyon. Existem mais de vinte trilhas diferentes. Nós optamos por uma de dificuldade média, exceto pelo fato de que o meu namorado fez questão de sair da trilha, o que deixou a pessoa compulsiva aqui achando que ia virar um episódio do I shouldn't be alive. Programa do Discovery Channel, onde pessoas que sobreviveram à condições adversas extremas relatam suas experiências. Todas as historias começam com "inocentes" passeios no bosque. Eu andava assistindo a muita TV.



Sobrevivemos, mas a vida já não tinha o mesmo gosto da noite anterior. Eu estava incomodada de novo. Era 18 de setembro, o que me deixava apenas 23 dias para dar um rumo na minha existência. A minha vida virou uma contagem regressiva ao contrário, mas ao mesmo tempo, ninguém mais do que eu queria dar um fim nessa agonia. 

Bom, vocês já devem estar cansados desse nhénhénhé, né? Então, no próximo post prometo fingir que eu não sentia nada disso. Vou contar como foi a nossa road trip pra Califórnia! Até lá!


Nenhum comentário:

Postar um comentário