16 de março de 2012

pensilvânia 2

Agosto de 2010.

Eu não podia ir aos Estados Unidos e não visitar os meus pequenos na Pensilvânia. Isso sem falar na minha prima e nas minhas amigas que ainda estavam por lá. O Jared também queria ir e finalmente conhecer a minha hostfamily.

Como alguém tinha que trabalhar, eu comprei minhas passagens para ficar mais dias. Fui numa quarta-feira, dia 10, e voltei na segunda-feira, dia 22 de agosto! Ele ficou de me encontrar na sexta-feira 17 para passar o final de semana com a gente lá.

O meu hostfather foi me buscar no aeroporto. Entrei em casa e senti olhinhos perplexos me olhando. Até que o Owen gritou FABI! E veio correndo me abraçar. O Chase veio junto e logo em seguida veio o Cael, ainda tentando me resgatar na memória dele. Aquele abraço triplo depois de um ano sem vê-los foi um desses momentos que a gente não esquece nunca. 

Matei a saudade dos pestinhas, dos pais dos pestinhas, reencontrei amigos queridos, mas toda a expectativa era com a chegada do Jared. Todo mundo queria conhecer ele, principalmente os meninos que tinham  milhões de perguntas.

A princípio ele ia chegar na sexta-feira pela manhã, mas em se tratando de Jared e aviões, nada sai como o planejado. O voo foi cancelado por causa do mau tempo. O próximo voo chegaria na Filadélfia à uma da tarde. Atrasado. Então iria chegar somente às 6 da tarde, depois de uma escala em Nova Iorque. Isso tudo, ele sem  ter ido trabalhar, sentado no aeroporto bufando de raiva.

Às 5 da tarde, saímos de casa para buscar ele no aeroporto em Philly. Eu, a Lili (au pair que ficou no meu lugar), a Conny (au pair recém chegada para substituir a Lili), o mais velho, Chase, e o pequeno, Cael. Quando estávamos lá, o Jared liga de Nova Iorque dizendo que todos os voos tinham sido cancelados. Ou eu ia buscar ele em Nova Iorque, ou ele ia ter que passar outra noite no aeroporto!

Teoricamente, seriam mais duas horas de carro até o aeroporto de Nova Iorque. A gente estava uma hora longe de casa, se eu voltasse para deixar os meninos seria o dobro do caminho. Então liguei para mãe deles perguntando se podia levar eles até Nova Iorque comigo. Ela não se importou. Nem eles. Era uma aventura, Fabi estava de volta.

O problema todo foi que começou a chover muito forte e o trânsito estava um caos, tudo engarrafado. Ao invés de chegarmos lá às 8 da noite, chegamos às 10!! Mortos de fome, cansaço e tédio, depois de cinco horas na estrada. O Jared estava ansioso nos esperando na porta, com pedaços de pizza para nós. O pior já tinha passado, eu pensei.

A volta para casa foi mais tranquila. Chegamos à uma da manhã. Colocamos os meninos na cama e fomos dormir. Perdemos a sexta-feira, mas sábado foi dia de escalar e à noite fomos para a festa de despedida da Lili! As minhas amigas, que também eram amigas da Lili estavam lá e até os meus hosts foram. Foi um outro dia daqueles, quando a gente junta um monte de gente querida na mesa de um bar. 

No domingo curtimos uma ressaca, brincamos com os meninos, jantamos fora e fomos levar o Jared no aeroporto. A visita foi rápida, mas divertida! Eu estava feliz! Mas confesso que ver ele indo embora sozinho foi muito ruim. Eu ia embora só no dia seguinte, por causa daquelas economias bobas em passagens.

Skateboard lessons
No dia seguinte, foi péssimo me despedir dos meninos outra vez, mas tinha sido ótimo estar com eles de novo. Então, eu não tinha motivos para ficar triste. E sim agradecer! Sem falar que eu já estava com saudade do meu outro menino e que ele ia estar do outro lado do país me esperando.

Owen, Cael and Chase

Um comentário:

  1. Fabiii querida, adoro ler as tuas histórias, parece que estas sentada na sala aqui de casa contando as tuas aventuras, muto bom. beijão amada e mega saudadessssss

    ResponderExcluir