2 de abril de 2012

Malibu, California

Fim de setembro de 2011.

Essa história começa com a clássica amiga de uma amiga minha. A Sofia, amiga da Jaque, estava morando com o marido americano em Malibu, na Califórnia, e nos convidou para passar um final de semana com eles. Nós arrumamos as mochilas, alugamos um hotelzinho barato, jogamos um fardinho de cerveja no porta-malas e pegamos a estrada.

Saímos de Vegas no final da tarde de sexta-feira, quatro horas depois estávamos lá. Fomos para o apartamento deles e começamos a dividir a experiência de namorar alguém de outra nacionalidade. Era bom conversar com gente como a gente. 

No sábado de manhã fomos descobrir Malibu, a praia das celebridades. Eles nos levaram para fazer uma trilha, que terminou em uma piscina natural no meio das montanhas. Momento filme, pessoal. Eu diria a lá Lagoa Azul, mas não somos tão antigos e bregas clichês e nadamos vestidos. Atravessamos a piscina e fomos escalando as rochas, até esgotarmos o lugar.

Depois disso, ainda fomos em um centro de conveniências, mas não encontrei a Jennifer Anniston lá. Ou então não nos vimos. Esticamos para outra prainha, onde um pessoal estava caçando siri. É claro que os meninos adoraram a ideia e enchearam um copo de café com os bichinhos. Em casa, eles foram direto para a panela e nós dividimos irmamente o pouco de carne que eles tinham.


Voltamos para o hotel, tomamos um banho e fomos para Santa Monica jantar num restaurantezinho brasileiro delícia. Comemos coxinha, arroz, bife, acebolado, farofa. Essas coisas do nosso Brasil de meu Deus.

No domingo de manhã fomos nos despedir deles. O marido da amiga da minha amiga tinha que trabalhar e eu o Jared estávamos soltos em Malibu. Eles nos deram umas dicas de lugares para passar o domingo e deu tudo certo. Primeiro encontramos uma feira de antiguidades, um brique da Redenção para os gaúchos, uma praça San Telmo para os argentinos, sem o tango, é claro.

O meu namorado adora feirinhas e open markets. Lembram da paixão dele pelos camelôs? Fizemos a festa e acabamos comprando um baú de 1940, mais um cesto que era usado para medir arroz, molduras, um banquinho estiloso e eu ainda arrematei um vestido, uma saia e tiaras para o cabelo. Tudo baratinho. Lotamos o carro de tranqueiras e saímos de lá felizes. Ainda bem que a gente não tinha mais espaço.

Depois da nossa aventura na feirinha, fomos em busca da praia secreta. Os turistas desavisados acham que a praia termina quando a rua termina, mas fomos orientados e dobrar a esquerda e seguir por uma rua de trás até encontrarmos um estacionamento restrito para poucos carros. Achamos e ainda conseguimos uma vaga.



O lugar era lindo demais. Caminhamos quase uma hora até a praia ao lado, chamada Paradise Cove, por ter mesmo cara de paraíso. Lá tinha um restaurante no meio da areia, onde comemos uma diversidade de frutos do mar com os pézinhos no chão. Depois sentamos na beira do mar e recuperamos o fôlego antes de voltarmos para a civilização. Enfim, voltamos para o asfalto. Voltamos para Vegas. Voltamos para casa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário