30 de maio de 2012

aeroporto 7 - natal

Dezembro de 2011.

O Natal de 2011 demorou tanto como esse texto. Não chegava nunca. Peço desculpas pela demora na atualização do blog, fui engolida pela minha história. Ficou difícil viver e escrever os fatos, no olho do furacão. Parece estranho, mas preciso de um certo distanciamento.

Enfim, amanheceu o dia 24 de dezembro.  Logo depois do almoço, eu e o meu pai pegamos a estrada para a capital. O voo do Jared chegava às 3 horas no Salgado Filho, mas obviamente atrasou. Quando finalmente aterrissou e todas as pessoas saíram do portão de desembarque, menos ele, eu pensei, não veio!

Depois de muito esticar o pescoço, o guardinha se solidarizou com a minha ansiedade e foi lá dentro espiar se ainda tinha passageiros. Ele tá de camisa verde, eu disse. Não, não tem ninguém de camisa verde, respondeu ele. Só tem mais uma senhora e um rapaz, acrescentou o guardinha. Tem que ser ele esse "rapaz". 

Inconformado com a minha expressão também inconformada, o guardinha (amor) voltou lá dentro e perguntou o nome do "rapaz". O Jared respondeu e mostrou o passaporte, mesmo sem entender o porquê. O guardinha voltou sorrindo e me disse, ele tá lá, J-A-R-E-D, né? Era. Tava passando as malas na imigração. Pelo menos, ele veio com as malas dessa vez, pensei aliviada.

Doce ilusão. Ele saiu pelo portão, com um casaco cinza, sorridente, mas sem uma das malas. A gente não acreditava que tinham perdido a mala dele again! Pra quem não lembra, o ano passado as duas malas foram perdidas. Preenchemos formulários e voltamos para Encantado. Afinal, era Natal e a mala com os presentes tinha vindo! :]

Em casa, a minha mãe nos esperava com comida no fogo. Arrumamos a mesa da ceia e eu estava tão feliz, que mesmo se não fosse Natal, ia parecer Natal para mim. Só faltava a minha irmã, que estava em Porto Alegre.

Meia noite. Beijos, abraços, fogos de artifício, presentes, presenças. Depois de festejar com a família, fomos para uma festa num dos clubes da cidade. O Jared era quase uma celebridade. Todas as minhas amigas, conhecidas e leitoras do blog foram super simpáticas. Improvisaram no inglês, abraçaram, beijaram e o escambau. E ele, atordoado, sem entender muito, me olhava cheio de olhos. Até que entrou no ritmo e , mais tarde, acabou se despedindo de todo mundo com um sonoro "tchau amigos", que nos fez morrer de rir até o Ano Novo!

Papai Noel foi um demais comigo em 2011.


3 comentários:

  1. Que bom que vc voltou a postar... Vinha aqui todo dia em busca de noticias :)

    Foi a American que perdeu a mala dele? Eles SEMPREM perdem as minhas, sem excecao :(

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :) obrigada camila, por acompanhar o blog!!

      A primeira vez foi a American sim. Etiquetaram as duas malas dele com nomes de outras pessoas e mandaram as malas para a República Dominicana. Antas! A segunda vez foi a Pluna, demorou menos tempo para encontrar e, depois de uns gritos, pagaram 100 dólares de indenização. A gente tá aprendendo a brigar pelos nossos direitos! hehe beijão!

      Volta sempre.

      Excluir
  2. Eeeee!! Também estava sedenta por novos posts.

    Fiquei imaginando o gringo dizer "tchau amigos"!! Querido!! =D

    Ah, sempre os aeroportos... ainda bem que eles são seguidos por bons momentos!

    Amo.

    ResponderExcluir