20 de setembro de 2012

skype - melhores momentos

9 de maio de 2012.

Depois de dois anos e 5 meses, chegou o nosso último dia falando no Skype. Como muitos outros casais, se não fosse pela internet a gente inevitavelmente não estaria mais junto. Com internet já foi díficil, imagina sem. 

Foram horas e horas de conversa jogada fora, de sorrisos e choros, brigas e reconcialições. Por não termos nada além de uma tela de computador, microfones e autofalantes, criamos uma relação baseada em conversa. Sem assunto, não tinha namoro.

Fomos privados do silêncio bom de estar apenas na companhia um do outro, simplesmente porque não dava para a gente ficar na frente do computador em silêncio. A tecnologia ainda não chegou nesse nível. 

Apesar de diminuir nossa distância, não nos permitia o perto que queríamos. Mas, por outro lado, nos dava uma segurança boba, de poder desligar o computador quando era "melhor assim". Amanhã a gente conversa. Status: offline. Era possível controlar o nosso tempo juntos e nos dedicarmos para aquele tempo, mas no mundo real, todo mundo sabe que não é sempre assim.

Quantas vezes, temos que arrumar o tempo que não temos, nos dedicarmos quando não queremos, estar disponível quando não estamos. Tudo pelo outro. Nesse maravilhoso sacrifício que é viver junto, todos os dias embaixo do mesmo teto. Dormindo e acordando na mesma cama.

Que jogue a primeira pedra quem nunca quis ficar invisível na frente do namorado/noivo/marido. Ou melhor, quem nunca quis desligar ou colocar a mulher para hibernar. Não dá, gente. E pela primeira vez, nós dois estávamos prestes a descobrir de verdade como ia ser a nossa vida cara a cara, dia a dia. Sem tela, nem teclado, sem a desculpa de que a bateria acabou ou o Windows travou.

A gente tinha uma ideia, mas agora era para valer. Os testes tinham acabado. Ao mesmo tempo, que isso era um alívio era também um tormento. E se não der certo, dá para reiniciar?

O tempo que passamos longe acabou nos solidificando e apesar de ter nos faltado o toque e o cheiro por tanto tempo, fomos presenteados com visão, audição e fala. E também com muitas boas memórias =).




Agora, que venham as fotografias juntos, no mesmo lado da câmera. Do mesmo lado de lá.


6 comentários:

  1. Impossível não se emocionar com seus posts. Não sei se eu teria aguentado, vcs além de construirem a relação de vcs com amor, precisaram mto da amizade pra q ela desse certo. Realmente não é fácil a convivência junto, mas acho q os prós superam os contras e eu amo ESTAR JUNTO sempre! Bjões

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :) Obrigada Débora!! Sabe que todo mundo dizia isso, ah eu não ia aguentar, mas a gente não tinha escolha. Mais difícil que aguentar a distância era aguentar a separação. Então, era escolher entre o ruim e o pior! hahaha Tomara que a convivência não seja mais difícil que a distância, né? Beijão, volta sempre.

      Excluir
  2. Que lindo tudo isso, Fabiana.
    É assim mesmo, tenho passado um pouco por isso também, essa história de ficar horas e horas na frente do computador, ao telefone, cedendo, abrindo espaço para o outro. Lindo o seu post. Felicidades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Caroline :) Boa sorte na sua história!! Tudo de bom! Volta sempre! Beijokas

      Excluir
  3. queridooooooooos!!! saudades simplesmente gigante!! teus posts me deixam sensível, sua boba!!! AMO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha boba é tu!! Tens que fazer uma conta no Skype aí posso falar ctg :D saudade do tamanho do mundo! AMO e ponto! beijo beijo

      Excluir