22 de novembro de 2012

insanidade do ócio

Julho de 2012

Depois de ficar um mês e meio sozinha em casa durante o dia, todos os dias, a insanidade começou a bater. Apesar de eu me dividir entre as tarefas da casa, o nosso filhote Chima, livros, o blog e as redes sociais em geral, comecei a ficar meio enlouquecida. Pior do que eu já sou na minha "normalidade". Ao que vocês devem estar se perguntando, porque diabos que eu não arrumo um trabalho ou algo produtivo para fazer.

Para quem ainda não sabe, a resposta e fácil: imigração. Para eu poder trabalhar, estudar e ter uma vida normal aqui, eu preciso me casar. Eu sabia muito bem disso, por isso demorei tanto tempo para entrar naquele avião. Bom, vocês já devem saber que eu não quero me casar. Ou não queria. Pelo menos, não agora. Não, por um bom tempo. Não sei explicar o porque desse meu receio. Afinal casamento não é esse bicho de sete cabeças. Ainda mais hoje em dia, em que infinitos casamentos acabam em divórcio. Casou, não dá certo, separa. Será?

Na minha cabeça,  essa matemática não é tao fácil. Se passar por um fim de namoro  foi relativamente difícil imaginem um divórcio. Deve ser um desgaste e tanto. Sem falar no estado civil, que muda para sempre. Solteira, nunca mais. Logo eu, que aprecio tanto a minha solteirice. Daqui para frente, será casada, divorciada ou viúva. Se eu já me acho muito nova para ser casada, imaginem então ser desquitada ou, que Deus não me ouça, viúva

O papel e os rótulos são o de menos, eu sei, só estou sendo dramática. O importante mesmo é: estou preparada para dar esse passo? Estamos preparados? Infelizmente ou felizmente,  temos uma maneira de descobrir. E vocês, estão preparados? Se eu casar, vou ter que trocar o nome do blog?

De qualquer forma, ainda não está bem nessa hora e resolvi ocupar o meu verão no hemisfério norte com projetos de decoração para casa, yôga, aulas online, tudo e qualquer coisa que ocupasse a minha cabecinha pensante, que definitivamente não se torna produtiva no ócioPelo contrário.

Para falar a verdade, às vezes, até sai alguma de produtiva. Olhem o sofá que o Jared fizemos de pallets. Com o dinheiro das cervejas que tomamos no processo de lixar, pintar e envernizar as pallets dava para ter comprado um sofazinho para o pátio na loja, mas ai não teria seria tão divertido.



Por enquanto, a vida a dois anda no melhor astral. Tudo sob controle, capitão. Toca o barco.

4 comentários:

  1. Essa atmosfera é tão boa... Adooooro!
    E não mude o nome do blog não... Esse nome é bem curioso e eu gosto muito.
    BJ Lana

    ResponderExcluir
  2. Que lindooo, está aí uma forma boa de ocupar a cabeça e ganhar um dinheirinho em Vegas. Quem sabe? Será que os vizinhos não precisam reformular suas casas?? hehehe

    Ando sumida nos comentários, mas nunca saio daqui viu? Sempre que dá eu espio, nem que seja para uma lida rápida ;D

    Saudades sempre!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha pois eh, vou fazer sob encomenda, mas preciso repassar o custo da cerveja! :P nao te preocupa amada, eu sei que tu estas sempre aqui, em todos os lugares que eu estou! :) amo amo saudade sempre.

      Excluir
  3. Ficou lindoooo! Faz bem em ocupar seu tempo! Bjos

    ResponderExcluir