29 de novembro de 2012

peguei o buquê

30 de junho de 2012.

Eu sei que eu já estava lá em julho, mas vou ter que voltar um pouquinho no tempo para falar do casamento da Camila e do Igor. Conhecemos eles em uma viagem curtinha para Philadelphia no ano passado, através de amigos em comum. Mas, brasileiro no exterior tem ímã. Na maior parte dos casos, a gente mal se conhece e se identifica na hora. Quando menos esperamos já somos amigos de longa data.

Dito isso, esse ano eles resolveram casar em Vegas e nos convidaram para dividir esse momento tão especial com eles. A festa começou na sexta-feira, quando fomos todos de limousine para um Strip Club. Total Vegas Experience!

Geeeente, eu nunca tinha ido num lugar desses e preciso confessar que achei um máximo. O andar de baixo era para o público masculino e o de cima, para o feminino. Entramos no elevador sem saber direito o que nos esperava no outro lado da porta. Logo demos de cara com homens de bunda de fora, melhor dizendo, de fio dental. Só Jesus na causa. Ca-da homem. Um poço de gente feia, só que não. Espero que o Jared não traduza essa parte.

Enfim, chegamos todas meio tímidas. Estrategicamente, o valor da entrada inclui dois drinks e o garçom seminu já traz os dois juntinhos, para a mulherada se soltar mesmo. Não deu outra! Foi difícil nos tirarem lá de dentro, mas saímos e nos reencontramos com os nossos reles mortais namorados, noivos e maridos, que por sua vez esperavam mais das moças do Strip. Ou pelo menos, foi isso que eles nos disseram, tendo em vista que um deles perdeu até a carteira.

Chegou o sábado, dia 30, e nos reunimos na capela para assistir à união dos noivos. Tudo bem ao estilo de Vegas, mas com a simplicidade do amor dos dois e a presença de muitos amigos e família. Apesar de ter sido meio rápido,  porque casamento nessas bandas é um negócio muito lucrativo e com bastante procura, foi muito intenso e quase dava para tocar a felicidade deles.



A festa foi num restaurante no Planet Hollywood. Comemos, dançamos e chegou a hora de jogar o buquê. Eu fiquei um pouquinho mais para trás, afinal de contas, eu já estava a caminho da forca mesmo. Até o momento em que a Camila jogou o buquê muito forte e caiu atrás de uma mesa alta nos pés de dois caras.

Eu olhei o buquê, o buquê olhou para mim e o ser competitivo que existe em mim saiu correndo de vestido e salto alto, passou por baixo da tal mesa e catou o buquê do chão. Levantei toda errada, com o cabelo despenteado a tempo de ouvir alguém dizer: "não valeu, tem que jogar de novo".

A noiva me olhou com o buquê na mão, com a minha cara de não sei o quê e respondeu: valeu sim, o buquê é da Fabi! Ufa. Que fofura de noiva. Depois de todo o sacrifício, eu queria aquele buquê e ponto. Era meu.

Cada dia, a nossa história ficava um pouquinho mais palpável, através dos momentos que fomos vivendo juntos, dos amigos novos que conhecemos juntos e de todo o resto que agora fazíamos juntos e não separados por literais dez mil quilômetros.

A nossa vida nova tinha começado. Junto com a vida nova da Camila e do Igor. Quero deixar registrado que desejamos para eles que essa nova vida seja cheia de felicidade e sonhos realizados. Muito obrigada por dividir a alegria de vocês com a gente! Cheers.

4 comentários:

  1. Felicidades para voces também Fabi! bjus!!

    ResponderExcluir
  2. hahahaha, essa foi boa, Fabi! Imagina se não valesse?? Depois de tanto trabalho! rsrsrs!
    Bjus
    Vivi

    ResponderExcluir
  3. Acho que agora é sério Fabi! Pegou o buquê não adianta mais fugir! Rs ... Bj Lana

    ResponderExcluir
  4. Q noiva linda!!!! Mto bom fazer novos amigos, né? E brasileiro é assim mesmo, a afinidade rola sempre, parece q vc se sente mais perto de casa qdo encontra um no exterior.

    Hj coloquei o blog em dia, qdo viajo a vida vira de cabeça pra baixo...rs

    Bjão

    ResponderExcluir