1 de novembro de 2012

saudade

Junho de 2012

Metade de junho bateu na minha porta com uma mala cheia de saudade. Fazia apenas um mês que eu tinha chegado, mas aquele final de semana fui um combo fatal de nostalgia: 15 de junho, sexta-feira, aniversário da minha mãe; 16 de junho, sábado, formatura em medicina de uma grande amiga; 17 de junho, domingo, aniversário da minha avó querida.

Estar longe de casa naquele momento não fazia nenhum sentido para mim e foi difícil evitar a pergunta "o quê eu estou fazendo aqui?". A resposta eu já sabia. Estava ali, do meu lado, na minha frente, disposto a me fazer feliz da maneira que ele podia. Assim, apenas o pensamento, a pontinha de dúvida, a pergunta recorrente, me encheu de culpa.

A mesma culpa que me acompanhou por tanto tempo. A culpa de ir embora e deixar a família e os amigos ou a culpa de ficar e deixar ele. Eu era uma culpada convicta. Ou pelo menos, eu me sentia assim. Naquele final de semana, fiquei com o coração apertado por não estar lá e fiquei com o coração apertado por querer estar lá. Quanto aperto!

O Jared tentou me manter ocupada e fez de tudo para ter o telefone fixo com ligações ilimitadas para o Brasil instalado a tempo. E teve. Consegui ligar para a minha mãe e para a minha vó nos respectivos aniversários e assisti a Jô receber o diploma pela internet. Um viva para a tecnologia. Não me senti tão longe. Até porque estar longe é diferente de estar distante. De uma forma ou de outra, eu sempre me sinto muito perto das pessoas que são importantes para mim.

No entanto, aquele final de semana foi uma prova de todos os bolos de aniversário que eu vou perder. Todas as festas de casamento, batizados, formaturas que eu não vou comparecer, alguns Natais, viradas do ano, nascimentos e até velórios. O mais provável é que eu não esteja presente, uma verdade difícil de lidar e acho que nunca vai ficar mais fácil.

Acredito que com o tempo, algumas coisas vão melhorar, talvez a saudade de casa se amenize. Porém, o fato de estar ausente em determinados momentos vai doer para sempre. Mas, eu gosto de pensar que as coisas acontecem na vida da gente do jeitinho que elas tem que acontecerem e dois dias após o meu final de semana saudoso, a companhia aérea Copa criou um voo semi-direto de Las Vegas para Porto Alegre.

Mesmo assim, vou continuar não podendo estar tão presente o quanto eu gostaria, mas confesso que a notícia foi um conforto e tanto. Foi um abraço da vida, dizendo, viu, eu sei o que eu estou fazendo contigo. Segura a tua onda, Fabiana.

SAUDADE
Brazilian Portuguese: [saw'dadi] or [saw'dadʒi] is an unique Portuguese word that has no immediate translation in English. Saudade describes a deep emotional state of nostalgic longing for an absent something or someone that one loves. It often carries a repressed knowledge that the object of longing will never return.

17 comentários:

  1. Fabi sei muito bem como vc estava se sentindo nesse dia(e talvez ainda se sinta)... estou aqui há 1 ano e ainda nao me acostumei de perder todos os eventos com as pessoas queridas e principalmente as festas de familia(q sao muitas, pq a familia é grande e unida). Nao sei se isso passa um dia, essa sensacao de perda, de estar a parte daquele mundo q era tao seu, talvez amenize, talvez aumente e nos sufoque, nao sei... a única coisa q podemos fazer bem é viver essa nova vida da melhor maneira possivel, agir com sabedoria no relacionamento sempre, pra q valha realmente a pena tudo que estamos perdendo na vida de quem amamos tanto...

    Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse tudo Ka, vamos fazer valer a pena! Ainda te devo a resposta do meme! Sou meio desajeitada com essas "modernindades" vou tentar publicar ainda essa semana! Obrigada pela lembranca! Beijao!

      Excluir
  2. Saudade dói e dói mesmo! E eu entendo muito bem o que você está sentindo Fabi, não há palavras que confortem um coração com saudades. Eu tenho saudades de coisas que não vivi e de pessoas que não conheci. Isso é bem esquisito, eu sei, mas é isso o que acontece comigo. Deve ser por isso que fico com tanto medo de gostar de alguém, tenho medo de sentir saudade. Sou uma banana mesmo não sou???? Rs ... Lana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EH uma banana!! hahahaha Lana menina se joga pro mundo. Sentir saudade eh horrivel, mas eh melhor que nao sentir nada. Nadinha. Tu nao acha? Eu vou acabar brigando com vc!! hahahaha vai dar essa cara pra bater!! :P Senao vou ter que ir ai te dar uma sacudida! Desculpa o sumico semana passada, quinta tem post novinho, com cara de adaptacao. Isso mesmo, a gente se adapata! :) Larga mao de ser banana! :P beijo beijo

      Excluir
  3. Acho q às vezes é bom sentir saudade, acho que é um tranco q a vida dá na gente pra aprender a sempre dar valor e aproveitar qdo estamos perto daquele ou daquilo. Espero q não se sinta culpada agora, vc encontrou seu rumo e não tem nada de mau nisso, a saudade faz parte da vida, algumas vem e outras são sanadas, não podemos ter td e todos ao mesmo tempo. Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois eh, entao, uma amiga minha postou no facebook esses dias que "a despedida reinventa as relacoes". Ou algo parecido. E eu concordei, acho que nao existe reencontro sem despedida, da mesma forma que nao existe saudade sem amor. Se a gente nao gosta, a gente nem senta falta. Mas tem dias que eu queria que as coisas fossem um pouquinho so, nao muito, mas um pouquinho mais faceis. Mas sao os trnacos da vida mesmo e eu devo precisar deles! :) Ah, sei que tu acompanhas, peco desculpas pelo sumico semana passada. Fui vencida pela pagina em branco! Quinta, tem post novo! Beijokas

      Excluir
    2. Menina, semana passada eu estava numa correria com a preparação do aniversário de 3 anos da minha filha (q foi dia 10/11) q não teria tempo de passar por aqui. Mas, ainda assim, não esqueci de vc e fiquei me perguntando pq não tinha escrito....rs
      Ah! Embarco essa manhã pros EUA, mas dessa vez 'ainda' não é Vegas, estou indo de novo curtir o Black Friday na minha amada Orlando. Bjão

      Excluir
  4. Meu dia foi 99% movido ao sentimento que dá vida a este texto. Justo hoje que abri meu email pensando em te escrever algumas palavras para ver se conseguia amenizar o tal sentimento. Justo hoje que para mim, essa palavra me 'maltratou'...Tenho - e muita - SAUDADES, mais do que nunca me vi em cada letra do texto e repito tuas palavras: "Um viva para a tecnologia. Não me senti tão longe. Até porque estar longe é diferente de estar distante. De uma forma ou de outra, eu sempre me sinto muito perto das pessoas que são importantes para mim."
    Tu és, pode ter certeza. Fica bem que vou ficar também.
    Te amo, shining!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. saudade sem fim de ti minha amiga. Segura as pontas ai, tu eh mais forte do que tu pensas. Eu tenho certeza! Amo muito. Beijo beijo e nao esquece de mim! :D

      Excluir
  5. Cara, comecei a ler seu blog ontem e só fui dormir sem ler os últimos 3 post que faltavam porque eu precisava acordar MUITO cedo hoje. Quando sai de casa ficava pensando "preciso ler os restantes, preciso". Pronto, cheguei em casa e li os que restavam e agora vou continuar acompanhando tudo.
    Por favor, faça dele um livro!!! Faça, é muito merecedor.
    Namoro a distancia então, será que eu preciso dizer que chorei muito em vários post? é, chorei demais!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernanda, muito obrigada e bem vinda ao Nao Quero Me Casar. Olha as vezes fico pensando que eu deveria ler o blog desde o comecinho tbm, pq tenho certeza que ando me repetindo. No entanto, preciso te confessar que ainda nao tenho coragem de reviver tudo que esta escrito aqui. Quem sabe um dia, crio coragem, leio, releio e mando para uma editora!! hahaha Fiquei muito feliz com o comentario, boa sorte no namoro a distancia. :) Curte a gente no facebook, passa adiante e volta sempre!! beijao

      Excluir
    2. Opa, já está mais que curtido no face!
      Quanto ao receio de estar se repetindo... pode ficar tranquila que não está não!!
      Beeeijo

      Excluir
    3. Ahhh eu não sabia q tinha no face, tô correndo pra curtir! Bjão

      Excluir
  6. Como diz uma música que eu gosto muito, "A saudade é uma forma de ficar".
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E de certa forma, so as coisas boas ficam, ne?! :) beijo beijo

      Excluir
  7. Ola Fabiana, cheguei no seu blog nao sei exatamente como (tenho o habito de pular em blogs diferentes ate achar um que me prende) e fui la no comecinho para ler sua historia, e nao parei ate chegar aqui! De muitas maneiras vi minha historia na sua... A certeza do sentimento, a inseguranca em se comprometer... A vontade de ficar na seguranca do "em cima do muro", o nao querer deixar tanto para tras... Enfim, foi gostoso e assustador ler tantas semelhancas. Boa sorte, e com certeza estarei te acompanhando!! A saudade e' algo que nao nos larga nunca, mas aprendemos a lidar melhor com ela! Bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vinda Aline!! Adoro qd as pessoas se encontram na historia, eh muito bom saber que nao sou a unica que passo por essas pendengas :P da uma sensação muito boa, escrever qd tem pessoas passando por mais ou menos as mesmas coisas que a gente! Muito obrigada pelo comentario e pelo carinho. boa sorte pra ti tbm, vou esperar a tua visita mais vezes! Beijo grande :)

      Excluir